quarta-feira, 8 de julho de 2015

Muito mais valioso que puro nardo

Imagino a sensação de Maria de Betânia ao ofertar ao seu Senhor algo de tão valoroso, não falo do puro  nardo, um unguento aromático, importado das montanhas da índia,  ou mesmo extraído das folhas secas de uma planta natural do Himalaia como dizem alguns estudiosos,  sabemos que era um perfume caro, precioso, cuja quantidade derramada era equivalente ao salário de um ano, não não falo desse vaso de alabastro contendo algo tão raro...
Refiro-me a mais  preciosa adoração!
"...ela fez o que pode; antecipou-se a ungir o meu corpo para a sepultura.
Em verdade vos digo que, em todo o mundo, onde quer que for pregado o evangelho, também o que ela fez será contado para memória sua".Mc14.8,9
Maria de Betânia deu uma declaração pública de fé de que Ele era o Messias. Nenhuma daquelas pessoas  presentes naquele lugar  foram capazes de compreender  a mensagem imbuída  no gesto de Maria. Ela declara Jesus o Rei, pois somente  reis eram ungidos com este tipo de perfume nos dias anteriores a sua coroação.
O Senhor a elogiou por sua adoração que não visava interesse próprio, a essência da adoração a Cristo é considerá-lo como bem maior, o maior amor, oferecendo a Ele sempre o que temos de mais precioso, a adoração que nada custa, nada  realiza. A adoração extraordinária custa o nosso coração!
Imortalizada pelo grande exemplo de devoção, Maria nos ensinou a  adoração que não se impressiona com que os outros pensam, que não se envergonha nem se omite em doar-se de maneira plena. Ela não pensou em nada além de agradar ao seu Mestre. Que a nossa oração seja sempre: " Receba de mim o que há de mais precioso, meu Senhor!"
Amo vocês 
Clébia ✌

5 comentários: